Vacina contra HPV deve imunizar mais de 20 milhões de crianças e adolescentes

novembro 21, 20181:05 pm

Mais de 20 milhões de crianças e adolescentes precisam receber a primeira ou segunda dose da vacina contra o vírus HPV no País. A imunização é destinada a meninos de 11 a 14 anos e meninas de 9 a 14 anos. O Ministério da Saúde lançou em setembro uma campanha publicitária para impulsionar e convocar o público alvo à vacinação, que é feita gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A expectativa é de que sejam vacinados 9,7 milhões de meninas e 10,8 milhões de meninos. Altamente segura, a vacina também apresenta alto grau de eficácia.

A médica ginecologista Adriane Cristina Bovo explica que a vacina tem eficácia acima de 90% e protege contra quatro tipos do vírus HPV, que são os que mais causam problemas à saúde. “A vacina protege contra quatro vírus. Desses quatro, dois causam 90% das verrugas genitais e os outros dois causam 70% do câncer de colo. Com a vacinação temos a perspectiva de reduzir em 70% os casos de câncer de colo de útero”, afirma.

Mas o benefício vai além do câncer de colo, explica a médica. “A vacina reduz também câncer de vagina, de vulva, de orofaringe e de ânus”.

Extremamente segura, a vacina tem sido utilizada no mundo inteiro há mais de uma década, conta Adriane. “A vacina é extremamente segura, tem sido usada no mundo há mais de 10 anos e tem mostrado um perfil de segurança muito alto. Não existe efeito grave relacionada ao uso dela. O único efeito colateral seria a anafilaxia, que é a alergia à vacina”. Segundo a ela, a probabilidade disso acontecer é de uma chance em um milhão.

A médica explica que “a idade recomendada é partir de nove anos, já que é o momento onde a vacina produz mais anticorpos, ou seja, mais benefícios. Mas é preciso tomar mais de uma dose para obter uma alta cobertura”.

Vírus X Vacina

O vírus do HPV (Papilomavírus Humanos), sexualmente transmissível, é capaz de infectar a pele ou as mucosas, causando verrugas genitais e até mesmo câncer de colo de útero, vulva, vagina, pênis e ânus. A vacina é eficaz na proteção de quem ainda não contraiu o vírus, mas é preciso receber as duas doses, com intervalo de seis meses entre cada uma, para que a cobertura contra o vírus seja total.

Desde 2013, quando ocorreu incorporação da vacina HPV no Calendário Nacional de Vacinação, R$ 4 milhões de meninas de 9 a 14 anos completaram o esquema de vacinação com as duas doses, segundo dados do Ministério da Saúde. Já os meninos, incluídos no Calendário de Vacinação somente em 2017, somam 2,6 milhões de imunizados, mas, até agora, apenas com a primeira dose.

“ É uma vacina de alta eficácia, muito segura e que está disponível no SUS. É uma pena se não atingirmos essa cobertura vacinal”, finalizou a ginecologista.

*Luciana Brazil 

Tags:
COMPARTILHAR:

Comentários