Suspeitos da execução de sargento da PM-MS, usaram carro clonado em MS

junho 12, 201811:18 am
Picape foi incendiada logo após execução depolicial em Campo Grande

A família saiu de madrugada a caminho de um passeio no shopping, em Pedro Juan Caballero, região de fronteira. Em Campo Grande, ficou o advogado de 40 anos, quando por volta das 7h30 (de MS), o telefone tocou: “Bom dia. O carro tal é da sua mãe? Então, encontraram o carro dela incendiado, envolvido em um delito e estamos investigando”. Ao desligar o telefone, jornais mostravam a foto, de picape semelhante, totalmente queimada, com suspeita de envolvimento na execução de Ilson Martins de Figueiredo, de 62 anos.

“Você imagina o meu desespero. Eu não sabia o que de fato estava acontecendo e liguei para minha irmã. Ela já estava chorando. Depois para minha cunhada, que ficou mais desesperada ainda. Foram 20 minutos de total desespero até minha mãe atender. Ela teve o carro clonado e eu a orientei a vir parando nos postos policiais e explicar que já sabia o que estava acontecendo”, afirmou o advogado.

A família, que estava recebendo dois familiares do estado de São Paulo, planejou o passeio. “Dois familiares queriam conhecer aquele shopping, então minha mãe disse que os levaria. Meu irmão foi dirigindo e levou o filho dele, além de mais dois familiares. Ao todo, foram cinco pessoas. Graças a Deus foi só um susto e eles chegaram bem. Mas, minha mãe comentou até em vender o carro por conta do susto e agora ela deve prestar depoimento na delegacia”, comentou.

Conforme a investigação, o carro usado na execução possui a mesma cor, mesmo modelo e características. A placa, possivelmente, teria sido clonada.

Entenda o caso

Ilson, que atuava como chefe de segurança da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, foi perseguido e alvejado por suspeitos, na manhã desta segunda-feira (11). Ele seguia pela avenida Guaicurus, Jardim Itamaracá, quando foi atingido, perdeu o controle da direção, derrubou uma placa de sinalização, parte de um muro e parou.

Conforme o relato das testemunhas à polícia, quando o carro da vítima parou, suspeitos desceram do automóvel onde estavam, foram até o homem e deram mais tiros. Ele morreu na hora. Na porta do veículo ficaram marcas de tiros e no asfalto projéteis. Minutos depois, a polícia encontrou dois carros incendiados, que teriam sido utilizados para o crime.

Tags:
COMPARTILHAR:

Comentários