Suspeita de encomendar execução, mulher é morta a tiros na fronteira

novembro 14, 20181:48 pm
Mulher foi executada a tiros quase um ano após a execução do marido na cidade paraguaia de Capitan Bado na fronteira com Coronel Sapucaia.

Alba Luz Godoy Chavez, de 30 anos, foi executado na noite de ontem, na cidade paraguaia de Capitan Bado, na fronteira com o município sul-mato-grossense de Coronel Sapucaia. O crime ocorreu por volta das 19h45, 24 horas depois que a advogada Laura Casuso, 54, foi assassinada por pistoleiro no bairro Maria Victoria, em Pedro Juan Caballero, no Paraguai.

Segundo o site Porã News, Alba estava sentada em frente a um imóvel na Rua 14 de Maio, no Bairro São José, quando o executor se aproximou e atirou cinco vezes com pistola calibre nove milímetros, fugindo em uma moto. Segundo testemunhas, a vítima morreu no local. De acordo com a polícia, a mulher era suspeita de ter encomendado a morte do homem que matou seu marido.

Adib Morel Dutra, 42, havia sido morto a tiros no dia 3 de dezembro do ano passado. A Divisão de Homicídios da polícia do Paraguaia acredita que Alba pode ter sido alvo de uma possível retaliação por pedir a cabeça da pessoa que assassinou Morel. Conforme o Porã News, a polícia não descarta outras hipóteses, mas a principal linha de investigação é de vingança.

Laura Casuso, advogada dos traficantes Jarvis Pavão e Marcelo Piloto, foi morta com aproximadamente 18 tiros de calibre nove milímetros na noite de segunda-feira. Ela foi atacada por pistoleiros no bairro Maria Victoria, na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero. A vítima chegou a ser socorrida e levada ao hospital, mas não resistiu.

Tags:
COMPARTILHAR:

Comentários