VÍDEO: Reunião de Bolsonaro com governadores do Sudeste acaba virando bate-boca

março 25, 202011:08 am
João Doria chegou a ameaçar ir à Justiça se governo federal confiscar equipamentos e insumos para combate ao coronavírus

A reunião do presidente Jair Bolsonaro com governadores do Sudeste na manhã desta quarta-feira (25) teve bate-boca e discussões sobre questões políticas. Estiveram presente na videoconferência João Doria (São Paulo), Wilson Witzel (Rio de Janeiro) e Renato Casagrande (Espírito Santo), além de alguns ministros.

Segundo informações, o momento mais tenso aconteceu quando Doria ameaçou ir à Justiça contra o governo federal caso haja confisco de equipamentos e insumos destinados ao combate do novo coronavírus no estado.

O encontro aconteceu um dia depois do último pronunciamento de Bolsonaro em rádio e televisão. Na ocasião, o presidente defendeu afrouxamento das medidas de restrição à Covid-19 e criticou governadores que atuam na “contramão” do que ele vem pregando ao povo.

Ainda de acordo com a publicação, Bolsonaro foi cobrado a dar exemplo ao país e a iniciar negociações com o Banco Mundial e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para adiar o pagamento das dívídas dos estados.

No embate, Doria lamentou os termos do pronunciamento de Bolsonaro na noite desta terça (24). “O senhor, como presidente da República, tem de dar o exemplo, e tem de ser o mandatário para comandar, para dirigir, para liderar o País, e não para dividir”, teria dito Doria.
Doria teria dito ainda que a prioridade seria de salvar vidas e que os Estados estão conscientes de manter a economia funcionando naquilo que é essencial, de acordo com as orientações da Organização Mundial da Saúde.

RESPOSTA

Irritado, Bolsonaro rebateu as declarações do goverador de São Paulo: “Aproveitou-se do meu nome para se eleger governador”, falou. Afirmou que, assim que ganhou as eleições, fez como já havia feito com “outro no passado”, numa alusão em referência a Geraldo Alckmin, “vira as costas e começa a atacar covardemente aquele que emprestou o seu nome, não voluntariamente”. “Guarde essas suas observações para as eleições de 2022, onde Vossa Excelência poderá destilar todo o seu ódio e demagogia”, disse Bolsonaro.

“Desde o final das eleições de 2018 Vossa Excelência assumiu uma posição completamente diferente da que teve comigo”, afirmou. “Subiu à sua cabeça a possibilidade de ser presidente da República. Não tem responsabilidade. Não tem altura para criticar”, criticou.

Elevando o tom de voz, Bolsonaro disse que não aceita “de forma nenhuma” essas palavras “levianas” de Doria, de ser responsabilizado por tudo que acontece no Brasil. “Governador João Doria, faça sua parte, o governo federal está pronto para comandar como sempre fez. Vossa Excelência foi quem fechou a porta para nós”, afirmou.

Tags:
COMPARTILHAR:

Comentários