Procon Estadual fiscaliza estabelecimentos comerciais, consegue reduzir preços e orienta sobre formação de filas

março 25, 202011:52 am
Foram visitadas unidades das redes Comper, Atacadão e Assaí. – Foto: Procon-MS/Divulgação

Para evitar que o cidadão seja prejudicado com aumentos injustificados de preços em estabelecimentos ou redes de  estabelecimentos comerciais, notadamente  aqueles cuja atividade  está focada, principalmente, em gêneros alimentícios ou outros essenciais para  uso nesta época de pandemia, equipes de  fiscalização da  Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor – Procon/MS, permanecem alerta e visitando supermercados e hipermercados de Campo Grande.

Nesta terça-feira, por exemplo o Procon Estadual, ao verificar preços em  cinco estabelecimentos, preços altos em alguns deles tendo orientado a gerência a reduzir os valores  ficados para venda de alguns produtos. Responsáveis por lojas fiscalizadas se demonstraram sensíveis e, após receberem orientações diminuíram os preços. Foram visitadas  unidades  das redes Comper, Atacadão e Assaí.

No Assaí  da avenida Consul Assaf Trad, por exemplo, foram reduzidos os preços da cartela de ovo que, exposta por R$ 16,90 passou a ser vendida por R$ 14,90; o preço do trigo que estava a R$ 2,39 foi reduzido para  R$ 2,29: feijão de R4 6,49 passou a ser vendido por R$ 5,39 enquanto o arroz de R$ 12,25 baixou para R$ 11,99.

Outro local onde foram encontrados produtos com preços majorados  foi o Atacadão, na saída para Cuiabá.  Entre estes,  destaque para a cartela de ovos que vendida por R$ 14,95, teve o preço reduzido para R$ 12,90.

Duas unidades do Comper também receberam a equipe do Procon Estadual não tendo sido constatadas irregularidades. Durante a ação, que contou com a presença do superintendente Marcelo Salomão, foram promovidas  orientações  em todos os estabelecimentos  principalmente a respeito dos cuidados em relação ao atendimento em fila preferenciais com destaque para idosos.

Entretanto, não faltaram conselhos a respeito da necessidade de procurar evitar muita proximidade entre cliente para, assim, dificultar a disseminação  do Coronavirus.

Tags:
COMPARTILHAR:

Comentários