Padrasto é acusado de colocar sedativo no leite para abusar de enteada de nove anos

janeiro 25, 20201:10 pm
A criança estava acompanhada pela avó, a qual, durante o seu depoimento, relatou que a vítima possui uma irmã que é filha biológica do suspeito

Um homem foi preso suspeito de colocar sedativo no leite consumido pela enteada, de 9 anos, para abusar sexualmente dela. Profissional da área de saúde, ele não teve a identidade divulgada e a prisão ocorreu na quinta-feira em Ivinhema.

O Conselho Tutelar informou a Polícia Civil que a criança havia sido atendida em uma unidade da Estratégia de Saúde da Família com lesões na área genital.

Ela teria reclamado de dores nas partes íntimas e informou que havia sido abusada várias vezes pelo padrasto, a quem considerava pai.

Levada à polícia pela avó, a menina disse ter uma irmã que é filha biológica do suspeito, razão pela qual costumava dormir na casa dele.

Conforme a publicação local, a menina retornou à casa da avó na noite de segunda-feira , após ter dormido na residência do ex-padrasto por vários dias. Na manhã seguinte, de terça-feira , ela queixou-se de dores nas partes íntimas, motivo pelo qual foi levada ao posto de saúde.

Segundo a avó da menina, a suspeita inicial era de que a criança estivesse com infecção urinária, mas ela contou que o ex-padrasto havia inserido o pênis na vagina e no ânus dela, e que, antes de dormir, o suspeito, que é profissional da área da saúde, amassava um comprimido na pia e colocava em seu leite, dando-lhe a bebida antes de dormir, dopando-a.

A própria criança afirmou ficar sonolenta após consumir o leite, oportunidades em que o suspeito começava a abusá-la sexualmente por horas.

A polícia suspeita que o crime era praticado há pelo menos um ano. O suspeito foi preso na quinta-feira e os policiais apuraram que ele já estaria com passagem comprada para viajar à região Norte do País nos próximos dias.

DOPAVA A CRIANÇA

A avó relatou que inicialmente suspeitou que a criança estivesse com infecção urinária, tendo dito isso a ela, momento em que a menor contou que o ex-padrasto havia inserido o pênis na vagina e no ânus dela, e que, antes de dormir, o suspeito, o qual é profissional da área da saúde, amassava um comprimido na pia e colocava em seu Toddynho, lhe dando a referida bebida para ingerir antes de dormir, dopando-a.

A criança narrou para a avó que a referida bebida a deixava sonolenta, ocasião em que o suspeito começava a abusá-la sexualmente, sendo que o ato demorava várias horas. Segundo os relatos, durante o último abuso, a menor bateu na cara do suspeito, todavia, não adiantou, haja vista que ele continuou praticando os atos sexuais.

Consta ainda que os abusos ocorrem há aproximadamente 1 ano, sendo que, durante esse período, por várias vezes, a criança dormia com roupa e, no momento em que acordava suas vestes estavam abaixadas.

Diante dos relatos, foi registrada a respectiva ocorrência policial na Delegacia de Polícia Civil de Ivinhema, sendo que a vítima foi encaminhada para a realização de exame pericial, bem como para a contracepção de emergência e na profilaxia das IST e do HIV.

Ademais, durante as investigações, a equipe policial obteve as informações de que o suspeito já estava com a passagem comprada para viajar para outro Estado da Federação, localizado na região norte do país, nos próximos dias.

Diante de tal fato, a Delegada de Polícia responsável pelo caso, Dra. Gabriela Ribeiro de Souza e Violin, para a garantia da ordem pública e aplicação da lei penal, representou pela prisão preventiva do suspeito, a qual foi decretada pelo Juiz de Direito da 2ª Vara da Comarca de Ivinhema.

Tags:
COMPARTILHAR:

Comentários