NÓIA DOIDÃO: Mulher grávida nega relações sexuais, e perde o bebê após ser espancada pelo marido

maio 13, 201912:36 pm
Diante dos fatos o autor foi preso em flagrante por ameaça e tráfico de drogas sendo encaminhado a Delegacia de Polícia Civil

Na noite deste domingo (12/05), por volta das 20h, a Guarda Municipal de Dourados prendeu em flagrante por violência doméstica e tráfico de drogas, João Paulo Almeida Silva, 21, morador na Sitioca Campina Verde.

A equipe foi acionada por populares, que encontraram a vítimam, de 23 anos, chorando em uma das vias de acesso ao bairro logo após sofrer as agressões.

Ela relatou aos guardas que estava com o esposo em casa e que tinham passado o dia ingerindo bebida alcoólica. Em determinado momento, ao procurar um carregador de celular que caiu em baixo do sofá, ela teria encontrado um tablete de maconha escondido. A partir disso, passou a discutir com esposo, pois não aceitava a droga no ambiente familiar e disse que iria chamar a polícia.

Neste momento, João Paulo teria ficado nervoso empurrando a vítima. Ele ainda quebrou uma garrafa de conhaque que tomava e passou a ameaçá-la de morte. Após a violência, o acusado saiu do imóvel.

Ainda acordo com a vítima, no dia 6/05, durante discussão, o marido a derrubou no chão e passou a agredí-la com chutes. Lesionada, a mulher foi levada por equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) à UPA (Unidade de Pronto Atendimento), onde foi constatado que a jovem havia sofrido uma hemorragia interna. Ela garante que estava grávida e, por conta das agressões, acabou sofrendo aborto do bebê.

Após os relatos da vítima, a equipe da Guarda Municipal foi até a residência e encontrou o esposo. Em vistorias no imóvel foi localizado escondido dentro do sofá um tablete de maconha que pesou 650 gramas. O acusado disse que havia comprado o entorpecente de dois desconhecidos no Bairro Estrela Porã, por R$ 250, com a finalidade de comercializá-lo.

Diante dos fatos o autor foi preso em flagrante por ameaça e tráfico de drogas sendo encaminhado a Delegacia de Polícia Civil para os procedimentos legais. Os investigadores vão apurar o fato do aborto relatado pela vítima, que se confirmado por agravar a situação do marido agressor.

Ele ainda quebrou uma garrafa de conhaque que tomava e passou a ameaçá-la de morte.

Tags:
COMPARTILHAR:

Comentários