Ex-mulher acusou Bolsonaro de furtar cofre de banco

setembro 28, 20187:15 pm
Foto: Ueslei Marcelino / Reuters

A advogada Ana Cristina Valle, ex-mulher do candidato do PSL ao Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro, acusou o presidenciável de furtar um cofre de um banco, de ocultar patrimônio e de receber pagamentos não declarados, segundo reportagem publicada nesta sexta-feira, 28, no site da revista Veja.

A reportagem cita uma ação aberta em 2008 na 1.ª Vara de Família do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, logo depois que o casal se separou, na qual constam as acusações de Ana Cristina ao ex-marido.

Bolsonaro, de acordo com Ana Cristina, furtou seu cofre numa agência do Banco do Brasil no centro do Rio, em outubro de 2007, e levou todo o conteúdo, incluindo joias avaliadas em R$ 600 mil, US$ 30 mil em espécie e mais R$ 200 mil também em dinheiro vivo.

No processo, que tem mais de 500 páginas, a advogada afirma também que Bolsonaro ocultou patrimônio pessoal da Justiça Eleitoral em 2006, quando foi candidato a deputado federal. Na ocasião, ele declarou bens que somavam, na época, R$ 433,9 mil. Ana Cristina, no entanto, apresentou outra relação de bens e a declaração do Imposto de Renda do ex-marido que citavam a propriedade de mais três casas, um apartamento, uma sala comercial e cinco lotes. Os bens, em valores de hoje, somariam R$ 7,8 milhões.

Conforme a reportagem, na ação pós-divórcio a ex-mulher do candidato diz que resolveu se separar por causa do “comportamento explosivo” e da “desmedida agressividade” de Bolsonaro.

Ana Cristina relatou ainda no processo, segundo Veja, que o ex-marido recebia “outros proventos” que faziam sua renda mensal alcançar cerca de R$ 100 mil (valores da época), embora recebesse, como deputado, salário de R$ 26,7 mil e, como militar da reserva, mais R$ 8,6 mil. A advogada não detalha a origem de tais “proventos”.

Tags:
COMPARTILHAR:

Comentários