Em Bagé, Bolsonaro repete comportamento de camelô da cloroquina

julho 31, 20206:21 pm
Presidente levanta uma caixa de cloroquina para a população Lauro Alves / Agencia RBS

Seis dias após receber o diagnóstico de que não está mais contaminado pelo novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro provocou aglomerações em visita ao Estado nesta sexta-feira (1). Bolsonaro esteve por cerca de cinco horas em Bagé, na Campanha, onde inaugurou unidades do Minha Casa Minha Vida e uma escola cívico-militar. Nos deslocamentos, ele chegou a parar o comboio e desceu do carro para cumprimentar simpatizantes. Após a entrega das chaves a famílias contempladas com as residências populares, Bolsonaro concedeu uma rápida entrevista na qual disse estar curado da covid-19 e que “todo mundo vai pegar”.

Desde as primeiras horas da manhã, moradores do entorno do Aeroporto Internacional Comandante Kraemer esperavam pelo presidente. Havia bandeiras do Brasil nas fachadas das casas e cavalarianos em pontos estratégicos do trajeto.

O avião com Bolsonaro, o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, o chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, e o presidente da Caixa,  Pedro Guimarães, e parlamentares aterrissou às 11h30min. O presidente desembarcou vestindo um pala e chapéu de gaúcho, mas quando surgiu no estacionamento do aeroporto havia trocado a indumentária por uma máscara da prefeitura estampada com a frase “eu amo Bagé”.

Na véspera, em live nas redes sociais, ele havia dito em tom de brincadeira que o irmão havia servido num dos quartéis da cidade por ter obtido uma classificação baixa na academia militar. “Eu me esforcei para não ter que ir para o Rio Grande do Sul. É muito frio”  justificou.

Saudado aos gritos de “mito, mito,” o presidente se aproximou dos simpatizantes que o aguardavam no aeroporto e baixou a a máscara por alguns segundos. Na sequência,  percorreu o cordão de segurança cumprimentando os apoiadores com apertos de mão. Bolsonaro também ergueu uma caixa de cloroquina, medicamento sem eficácia comprovada no tratamento da covid, sendo aplaudido pelos militantes. O presidente ainda exibiu uma camiseta do Guarany, clube de futebol da cidade, e pegou uma criança no colo, antes de voltar a cumprimentar a multidão  no trajeto até o carro.

Do aeroporto, Bolsonaro seguiu para a Escola Municipal Cívico-Militar São Pedro, a primeira a entrar em operação no Estado, em agosto do ano passado. Na chegada, houve nova aglomeração. Bolsonaro tirou a máscara e acenou para a multidão que o aguardava. Mas em seguida, já com o rosto protegido, foi ao encontro dos apoiadores, com muitos cumprimentos de mão antes de entrar no colégio. Para evitar aglomerações, a imprensa foi vetada na solenidade, transmitida pelos canais oficiais da Presidência. Do lado de fora, o público cantava o hino nacional e gritava “Bolsonaro, cadê você? Eu vim aqui só pra te ver”.

No deslocamento entre a escola e o 3° Regimento de Cavalaria Mecanizada (3° RCMec), onde cumpriu visita oficial e almoçou com autoridades civis e militares, houve nova aglomeração. Bolsonaro parou o comboio presidencial no meio da rua e desceu para cumprimentar simpatizantes. Rodeado por apoiadores, novamente segurou uma criança no colo e baixou a máscara para tirar fotografias.

Tags:
COMPARTILHAR:

Comentários