Drauzio detona omissão federal e comunicação sobre CoronaVac: ‘trapalhadas’

janeiro 13, 202110:45 am
Temos uma vacina eficaz. Esse desencontro só serve de arma para as pessoas que contraindicam o uso de vacina

O médico Drauzio Varella criticou hoje, em entrevista à GloboNews, a omissão do governo federal em relação a uma ampla campanha para incentivar a vacinação contra a covid-19 e classificou como “trapalhadas” a forma como ocorreu a comunicação do governo de São Paulo e do Instituto Butantan em relação à eficácia da CoronaVac.

Drauzio frisou que os resultados apresentados ontem sobre a vacina desenvolvida pelo Butantan, em parceria com o laboratório chinês Sinovac, são positivos e mostram um imunizante útil e eficaz para controlar a pandemia. Porém, em sua avaliação, a comunicação sobre os dados da pesquisa deveria ter sido feita de forma mais direta e clara desde a semana passada, quando os primeiros números foram divulgados de forma parcial.

“A palavra que você usou é perfeita, trapalhadas”, disse Drauzio, usando a palavra utilizada pelo entrevistador José Roberto Burnier em referência à comunicação sobre a CoronaVac. “Isso é uma demonstração do que acontece quando assuntos técnicos e científicos servem de argumentos para uso político. Tivemos desde o início essa dicotomia entre governo de SP e Ministério da Saúde”, disse.

Ontem, o Butantan apresentou dados mais robustos sobre a fase 3 dos testes realizados na CoronaVac após receber críticas de pesquisadores e especialistas em relação a uma divulgação parcial. Na última semana, em entrevista com a presença de João Doria, o instituto divulgou desfechos secundários da vacina, como a proteção de 78% para prevenir casos leves da doença e de 100% para casos graves.

Porém, a taxa de eficácia geral – a que indica o índice de proteção contra a doença – só foi divulgada ontem. A taxa de 50,38% está acima dos 50% estipulados pela OMS (Organização Mundial de Saúde) e Ministério da Saúde, mas na avaliação de Drauzio os ruídos na comunicação podem servir de munição a grupos que agem contra a vacinação quando, na verdade, os resultados deveriam ser comemorados.

“Nós temos uma vacina útil. O fato dessa divulgação inicial da semana passada de 78% de proteção para casos leves, colocando dados que nós, que temos o mínimo de informações científica, consideramos a forma inadequada de apresentar… Como você joga assim, 70 a 100% de proteção? Para nós não tinha significado.

Agora sim foram apresentados números que podem ser analisados “, disse. “Temos uma vacina eficaz. Esse desencontro só serve de arma para as pessoas que contraindicam o uso de vacina, esses ‘antivacinas’ que são escorados pelo presidente da República”, completou.

Tags:
COMPARTILHAR:

Comentários