Deputada Flordelis (PSD) presta depoimento; entenda o caso

junho 24, 20199:54 am
O pastor Anderson do Carmo era casado com Flordelis, deputada federal pelo Rio de Janeiro Reprodução / Instagram

deputada federal Flordelis (PSD-RJ) tem um depoimento marcado na polícia nesta segunda-feira, 24. O marido dela, o pastor Anderson do Carmo de Souza, de 42 anos, foi assassinado a tiros na madrugada do domingo, 16. Ao longo da semana passada, a história de sofrimento da família se transformou num confuso enredo em que os parentes da vítima passaram a figurar como principais suspeitos do crime. Nesta segunda, a polícia pretende descobrir o que Flordelis sabe sobre o caso.

Como o crime aconteceu?

 O pastor Anderson do Carmo de Souza foi executado por volta das 4 horas da madrugada do domingo, 16, com diversos tiros, após chegar com a mulher em sua residência no bairro Pendotiba, em Niterói.

Quem são os suspeitos?

Na segunda-feira, 17, a polícia já suspeitava que filhos do casal pudessem ter envolvimento com o crime. Flordelis e Anderson são pais de 55 filhos, dos quais 51 são adotivos. O primeiro detido foi Flávio dos Santos Rodrigues, de 38 anos, filho biológico de Flordelis e enteado de Souza. A prisão ocorreu durante o enterro do padrasto. O outro filho do casal preso foi Lucas Cezar dos Santos Souza, de 18 anos. Eles foram presos inicialmente sob suspeita de envolvimento em outros crimes.

Na quinta-feira, 20, a Justiça do Rio de Janeiro expediu mandados de prisão temporária para os dois filhos da pastora. Segundo a polícia, Flávio confessou envolvimento na morte do padrasto. Apesar disso, os investigadores ainda tentam esclarecer as circunstâncias do crime e apuram a participação de outras pessoas na morte do pastor.

Quais são as contradições da confissão?

O laudo do Instituto Médico Legal revelou que o corpo do pastor tinha mais de 30 perfurações – nove na região da virilha e da coxa, oito no peito e um, provocado por tiro a curta distância, na cabeça -, mas o réu confesso teria dito que disparou seis tiros. A polícia destacou que a quantidade de perfurações é insuficiente para determinar o número de tiros, uma vez que um mesmo tiro pode resultar em mais de uma perfuração.

A deputada é considerada suspeita?

A polícia trata a situação com cautela e, por isso, o depoimento desta segunda tem grande importância. A TV Globo revelou que o depoimento de um outro filho de casal teria sugerido a participação de três irmãs e da própria deputada Flordelis no planejamento do crime. A arma utilizada na execução foi encontrada dentro da casa pela polícia, mas, até agora, os policiais não conseguiram achar o celular usado pela vítima.

“Temos muito trabalho a fazer ainda. Por isso, notícias prematuras, coisas que chegam até vocês (da imprensa) de forma irresponsável, às vezes, podem atrapalhar as investigações”, disse na semana passada a delegada Bárbara Lomba, titular da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo.

O que a polícia busca esclarecer no depoimento?

Apesar de um dos filhos do casal ter assumido a autoria do crime, a polícia quer esclarecer a dinâmica da execução e diz que todas as pessoas que tinham alguma ligação com o pastor estão sendo investigadas – o que inclui a deputada.

Tags:
COMPARTILHAR:

Comentários