Datafolha aponta que 25% dos brasileiros são a favor de privatizações de estatais

setembro 10, 201910:52 am
Brasilia – O Banco do Brasil e Os Correios inauguram hoje agência do órgão postal no edifício sede do BB. No evento serão divulgados os resultados das duas primeiras semanas de funcionamento do Banco Postal como correspondente do Banco do Brasil. Participam da cerimônia o vice-presidente de Negócios dos Correios, José Furian Filho, e o vice-presidente de Varejo, Distribuição e Operações do BB, Dan Conrado.

Pesquisa Datafolha publicada pelo jornal “Folha de S. Paulo” nesta terça-feira (10) aponta que 25% dos brasileiros são a favor da transferência de estatais para o setor privado. Outros 67% são contra privatizações, enquanto 6% não sabem e 2% se declaram indiferentes.

Pesquisa anterior sobre o mesmo tema, feita em novembro de 2017, mostrava apoio menor às privatizações. Naquele mês, 20% dos entrevistados se mostravam favoráveis, enquanto 70% eram contra. Já os percentuais dos que não sabiam e dos que se disseram indiferentes foram de 7% e 2%, respectivamente.

Segundo o Datafolha, a pesquisa indicou que, quanto maior o conhecimento que a pessoa declara ter sobre o plano do governo para venda de empresas públicas, maior o apoio às privatizações. Entre os que se declararam bem informados sobre o assunto, 44% são favoráveis – percentual que cai para 32% entre os mais ou menos informados; 21% entre os mal informados; e 15% entre os que não tomaram conhecimento sobre o assunto.

A aprovação também é maior entre os entrevistados que declararam ter votado em Jair Bolsonaro nas eleições de 2018: 39%, contra 12% entre os eleitores de Fernando Haddad.

Se mostraram mais favoráveis, ainda, os entrevistados com maior renda familiar, chegando a 50% entre os que têm renda acima de dez salários mínimos, e caindo a 16% para os de renda até dois salários.

A pesquisa foi feita entre os dias 29 e 30 de agosto e ouviu 2.878 pessoas em 175 municípios do país. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, dentro do nível de confiança de 95%.

Tags:
COMPARTILHAR:

Comentários