Cabeleireira mata namorado com canivete dentro de casa

fevereiro 13, 20181:50 pm
Fonte: Valdecir Cremon

Um pintor de 41 anos foi morto a facadas nesta segunda-feira (12), após uma discussão dentro da casa onde morava há cerca de três meses com uma cabeleireira, no bairro Alto da Boa Vista, zona Oeste de Três Lagoas. A suspeita pelo crime, Danielly Vicente Azambuja, foi presa em flagrante.

O homicídio  o quarto do ano na cidade  ocorreu no início da noite e foi cometido com um canivete.

Gilberto Carvalho da Silva chegou a ser socorrido, mas morreu antes de ser levado ao hospital por soldados do Corpo de Bombeiros e socorristas do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Danielly disse, inicialmente, aos policiais militares que registraram o crime que o companheiro se feriu com a arma, após a discussão. Mais tarde, na delegacia, confessou o assassinato.

Em depoimento, disse que era agredida com frequência por Gilberto.

Danielly Vicente Azambuja, de 26 anos, que possui registro de MEI (Microempresária Individual) como cabeleireira e é acusada de matar com golpes de canivete o pintor de paredes Gilberto Carvalho da Silva, de 41 anos, também possui extensa ficha criminal.

Dados públicos do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul revelam que ela foi indiciada em sete inquéritos policiais, entre 2011 e o ano passado – a maioria por tráfico de drogas – e que ficou presa em 2016. Um dos casos é de falso testemunho.

Apesar do indiciamento, Danielly respondia aos processos em liberdade desde que foi beneficiada por uma decisão judicial, em 2017, para deixar o presídio feminino. Ela havia sido flagrada com maconha e quebrado objetos da unidade prisional ao ser conduzida a uma cela por agentes.

Todas as denúncias contra ela foram recebidas pela Justiça e ao menos duas estão em fase de recurso. A reportagem não conseguiu contato com advogados e defensores públicos nomeados para acompanhamento de processos.

Danielly foi levada ao presídio feminino de Três Lagoas após prestar depoimento à Polícia Civil sobre a morte de Gilberto.

 

COMPARTILHAR:

Comentários