Ataque à Síria: ONU marca reunião de emergência após bombardeio, e Trump comemora

abril 14, 201812:02 pm
EUA, França e Reino Unido lançaram mísseis contra Síria após uso de armas químicas. Conselho de Segurança se reúne ainda neste sábado.

Damasco, a capital da Síria, foi abalada por explosões que iluminaram os céus na noite desta sexta-feira (13/4), minutos após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciar ataques aéreos alegando o uso de armas químicas pelo regime de Bashar al-Assad. Além dos EUA, a ação teve apoio do Reino Unido e da França.

Logo após o bombardeio, o embaixador russo nos Estados Unidos, Anatoly Antonov, afirmou por meio de comunicado que o ataque americano contra bases sírias “não ficará sem consequências”.

A Organização das Nações Unidas (ONU) marcou para este sábado (14/4), às 11h, uma reunião de emergência do seu Conselho de Segurança, responsável pela paz e segurança internacionais. O pedido do encontro foi feito pelo presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Foram atingidos, segundo a coalizão, quatro alvos descritos como locais de “capacidades químicas”: um centro de pesquisa científica em Damasco; uma instalação de armazenamento de armas químicas, localizada a oeste de Homs; um armazém de equipamentos de armas químicas, além de um posto de comando.

O general Josefh Dunford, presidente do Joint Chiefs – um comitê de assessoramento do Pentágono – garantiu que  os alvos que foram atingidos e destruídos estavam especificamente associados ao programa de armas químicas do regime sírio. “Também selecionamos alvos que minimizariam o risco para civis inocentes”, disse.

O bombardeio ocorreu uma semana depois de relatos de ONGs da Síria de um ataque químico a civis na cidade de Douma, reduto rebelde próximo de Damasco, que teria deixado ao menos 70 mortos.

“Um tiro só”
O secretário de Defesa dos Estados Unidos, James Mattis, afirmou que os ataques aéreos contra a Síria foram pontuais. “Neste momento, foi um tiro só”, afirmou Mattis, em coletiva de imprensa no Pentágono. “Por ora, não temos novas ações planejadas.”

Mattis destacou que o ataque é mais intenso que o de 7 de abril de 2017, quando os EUA lançaram dezenas de mísseis contra o regime de Assad em resposta a um ataque químico que deixou 80 mortos. Segundo o general Joseph Dunford, o ataque durou menos de uma hora. Segundo a rede CNN, foram utilizados na ação militar bombardeiros B-1, invisíveis ao radar.

O secretário de Defesa destacou ainda que “não houve relato de dano” entre as forças dos EUA e dos aliados.

Donald Trump Comemora

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, usou sua conta pessoal no Twitter neste sábado (14/4) para agradecer aos aliados Reino Unido e França e exaltar o poderio militar após ataque conjunto contra a Síria na noite de sexta (13).

Em um dos tweets, ele escreve: “Um ataque executado com perfeição na noite passada. Obrigado à França e ao Reino Unido por sua sabedoria e o poder de seu Exército. Não poderíamos ter tido um resultado melhor. Missão cumprida!”

O ataque foi uma retaliação ao uso de armas químicas em ataque ocorrido na Síria há pouco mais de uma semana. Em outro tweet, publicado por Trump também neste sábado, o presidente se diz orgulhoso da força militar americana.

“Estou tão orgulhoso do nosso grande Exército, que logo será, após o uso de bilhões de dólares já aprovados, o melhor Exército que já tivemos. Não haverá nenhum outro que chegue nem perto”, escreveu o líder norte-americano.

Tags:
COMPARTILHAR:

Comentários