Antes de ser assassinado, homem passou por ‘tribunal do crime’

novembro 19, 201811:18 am
Foto: Osvaldo Duarte

Josivan Alves de Lima, 37, passou pelo ‘tribunal do crime’ antes de ser assassinado no dia 14 de setembro, em Dourados. A informação foi repassada há pouco pelo delegado do SIG (Setor de Investigações Gerais) da Polícia Civil, Rodolfo Daltro, durante apresentação de quatro pessoas presas por envolvimento com a morte do rapaz.

Jacson Ávalo de Araújo, 23 e Renan Moraes de Oliveira, 19, moradores no Estrela Tovi, Marcelo Augusto Cosmo Martins, 19, residente no Jardim Água Boa e Elvis Luciano Tavares, no Jardim Clímax, possuem algum tipo de participação no ato.

Conforme o delegado, o ‘julgamento’ da vítima ocorreu num barraco na favela do Estrela Verá e a execução na área próxima do local onde populares encontraram o corpo de Josivan, que seria ‘oposição’ a facção criminosa a qual o grupo faz parte.

“Esse é mais um caso do chamado tribunal do crime, onde desafetos de facção criminosa são julgados, amarrados e caso haja entendimento de que são opositores, executados. Josivan era alcoólatra e foi atraído até um barraco na favela do Estrela Verá e lá decretaram a morte dele. O assassinato ocorreu próximo a região onde o corpo foi encontrado. Houve dois profundos cortes no pescoço”, contou Rodolfo Daltro.

Participações

A polícia apurou que na ação, Marcelo foi o responsável em providenciar o Fiat Fiorino da empresa em que trabalhava para transportar Josivan e os demais. Já Elvis e Jacson desferiram as facadas contra o pescoço da vítima, enquanto Renan estava na companhia dos demais.

Latrocínio

Dois dos quatro presos teriam ainda participado de um latrocínio na cidade e serão apresentados nos próximos dias.

Investigações apontam envolvimento neles na morte de Orivaldo Martins da Silva, 61, encontrado na pedreira no dia 8 de setembro.

Na ação, ele teve o GM Corsa roubado.

Tags:
COMPARTILHAR:

Comentários