Aluna de escola municipal leva spray de pimenta e dispara em sala durante prova

novembro 28, 20188:11 pm
Uma das vítimas foi encaminhada para UPA e comentou que ainda está sentindo muita dor no peito e de cabeça, em Campo Grande. Sesau diz que Samu atendeu 5 crianças. — Foto: Alysson Maruyama

Uma aluna do 9° ano, da Escola Municipal Professor Nagib Raslan, no Jardim Petropólis, em Campo Grande, foi repreendida após levar um spray de pimenta e disparar contra os colegas em sala. Conforme testemunhas, a ação ocorreu no momento em que os estudantes faziam prova, na manhã desta quarta-feira (28).

A diarista Roseli Lelis, mãe de uma adolescente de 15 anos, ressaltou que ficou muito preocupada com o ocorrido. “Ligaram lá minha casa e aí eu fui lá, não sabia o que era e depois fiquei sabendo. Vi a ambulância lá e pensei: alguma coisa de ruim aconteceu”, disse.

A filha dela foi encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Vila Almeida e comentou que ainda está sentindo muita dor no peito e de cabeça. “A gente estava fazendo a prova quando, de repente, todo mundo começou a se sentir mal e a gente saiu da sala. Depois a gente voltou e começamos a tossir tudo de novo. Aí eles tiraram a gente da sala. Uns começaram a passar mal, a desmaiar”, contou.

Uma dona de casa, de 32 anos, conta que possui um filho estudando na escola, porém, em outra série. Ela não quer se identificar e fala que ainda está em choque com o que viu ao buscar a criança.

“Quando cheguei já ouvi sirenes e vi as viaturas do Corpo de Bombeiros. Estava uma confusão, ninguém falava nada o que estava acontecendo. Depois, um funcionário veio e nos falou que um ou dois coleguinhas dispararam um spray. Teve gente que desmaiou e até teve ataque epilético, outras meninas passaram muito mal”.

Ainda conforme a mãe, muitos adolescentes reclamavam de dor nos olhos. “Estava um caos, todo mundo desesperado. Nós queremos entender realmente qual foi a causa. Muitas vezes, estas coisas ficam só dentro da escola e ninguém quer que algo assim volte a acontecer”, finalizou.

A Secretaria Municipal de Saúde Pública (Sesau) informou que cinco crianças deram entrada por volta de 12h (de MS), sendo socorridas pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu).

Ainda conforme a Sesau, após 1h30 de atendimento, três delas já haviam sido liberadas e 2 permanecem em observação, por precaução, mas, passam bem e não apresentam nenhum sintoma de maior risco.

Tags:
COMPARTILHAR:

Comentários