Agricultores da Reforma Agrária assinam contratos para liberação de crédito em Corguinho

fevereiro 21, 201811:49 am
Fotos: Néia Maceno

Nem mesmo a chuva que caiu sobre o município de Corguinho impossibilitou que 90 famílias agrícolas deixassem de realizar o antigo sonho de acesso às linhas de crédito vinculadas ao Programa Nacional de Reforma Agrária (PNRA). Com a assistência e orientação dos extensionistas rurais da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), os agricultores familiares estiveram reunidos, nessa terça-feira (20.2), para oficializar a assinatura do contrato de créditos do Fomento, Fomento Mulher e Apoio Rural.

O trabalho beneficia famílias de quatro Projetos de Assentamentos (PAs) – Corguinho, Rancho Alegre, Torre de Pedra e Liberdade Camponesa. A solenidade contou com a participação do diretor-presidente da Agraer, André Nogueira. “Este ato é fruto de uma parceria entre a União e o Governo do Estado. O Governo Federal por liberar os recursos através do Incra e o nosso executivo estadual por determinar que a Agraer seja parceira do Incra para elaboração dos projetos e atendimento dos agricultores familiares”, disse.

Cada um dos três recursos tem uma finalidade específica sendo que algumas famílias assinaram contratos para liberação das três linhas de crédito de uma só vez. Ação que possibilitará o acesso de até R$ 11.400,00. “O Apoio Inicial corresponde à disponibilização de R$ 5,2 mil, já o Fomento permite o acesso a R$ 6,4 mil sendo dividido em duas operações de R$ 3,2 mil. Neste primeiro momento eles receberão a primeira parcela e, acredito que daqui a três meses a próxima já estará autorizada. Por fim, a outra liberação é do Fomento Mulher no valor de R$ 3 mil”, detalhou a assistente social e técnica da Agraer, Rosimeire Taniguchi.

O trabalho beneficia famílias de quatro Projetos de Assentamentos – Corguinho, Rancho Alegre, Torre de Pedra e Liberdade Camponesa.

Uma força tarefa foi montada por servidores da Agraer de Corguinho e da regional da Agência de Campo Grande para realizar a assinatura dos contratos e o atendimento dos agricultores familiares. Inclusive, a equipe foi divida em três grupos para atender melhor os produtores que saíram cedo de suas casas mesmo sob forte chuva. Os agricultores foram acomodados em dois barracões e uma varanda, tudo dentro das dependências da Associação.

E nem o vento frio foi capaz de desfazer o ânimo e satisfação das famílias que se acomodaram da melhor forma possível para assinar a papelada. “Este ato para nós é muito especial, agora, estamos realizando um sonho que há nove anos esperávamos. Por isso, lembro a todos os nossos companheiros que gastem o dinheiro com consciência. Este é um recurso que vem para auxiliar as famílias e os sítios”, afirmou o agricultor e presidente da Associação de Produtores Rurais do Assentamento Corguinho (Aprac), Nelsi Ricardo de Lima.

O dirigente da Agraer, André Nogueira, enfatizou também que os recursos só se tornaram disponíveis às famílias graças ao empenho coletivo. Trabalho que vai ao encontro das metas do executivo estadual. “O governador do Estado, Reinaldo Azambuja, vem nos dando apoio dentro das atividades executadas pela Agraer. Só em recursos a Agraer conseguiu movimentar, no último ano, R$ 30 milhões que foram revertidos em equipamentos e insumos para a agricultura familiar. Já fizemos a entrega de 16 mil mudas de abacaxi e, estamos trabalhando forte com a prefeitura de Corguinho para que possamos viabilizar mudas de urucum”.

A solenidade contou com a presença da prefeita de Corguinho, Marcela Lopes; a coordenadora da agricultura familiar da Semagro, Ariadne Monali Garcia; o coordenador da Agraer de Campo Grande, Silvio Vargas; o assessor do deputado estadual Enelvo Felini, Hélio Martins Fialho; e a equipe do escritório da Agraer de Corguinho.

Créditos

  • Apoio Inicial: busca apoiar a instalação no projeto de assentamento e a aquisição de itens de primeira necessidade, de bens duráveis de uso doméstico e equipamentos produtivos, no valor de até R$ 5,2 mil por família assentada.
  • Fomento: viabilizar projetos produtivos de promoção da segurança alimentar e nutricional e de estímulo à geração de trabalho e renda, no valor de até R$ 6,4 mil, dividido em duas operações de até R$ 3,2 mil por família assentada. O montante deve ser destinado à aquisição de ferramentas, equipamentos, insumos agrícolas, tratores, plantel de animais e outros itens indispensáveis ao início da fase produtiva do assentamento ao desenvolvimento ou implantação das atividades produtivas.
  • Fomento Mulher: para implantar projeto produtivo sob responsabilidade da mulher titular do lote, no valor de até R$ 3 mil, em operação única, por família assentada. O crédito pode ser utilizado para diversas atividades, entre as quais: implantação de quintais produtivos – que é o cultivo de hortaliças, árvores frutíferas, plantas medicinais – e a criação de pequenos animais, como porcos e galinhas.

 

*Aline Lira 

COMPARTILHAR:

Comentários