Em encontro com Trump, Kim Jong-un se compromete destruir arsenal de armas nucleares

junho 12, 201812:14 pm
O presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-Un, assinam declaração conjunta em Singapura, na terça-feira (12) (Foto: Reuters/Jonathan Ernst)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta terça-feira (12) após o encontro com Kim Jong-un, que a Coreia do Norte “já está destruindo seus principais centros de testes nucleares”, mas que as sanções econômicas serão mantidas por enquanto.

Durante este 1º encontro, em Singapura, os dois líderes assinaram um documento com o compromisso da Coreia do Norte com a desnuclearização completa da península coreana. O engajamento com o fim da produção de armas nucleares era uma condição imposta pelos EUA para a realização da histórica cúpula.

Esse compromisso já consta na Declaração de Panmunjon, assinada após o encontro de líderes das duas Coreias, em abril. No entanto, os dois acordos não estabelecem metas ou detalhes de como a decisão será colocada em prática para que o abandono da produção seja feito de forma completa, irreversível e verificável, como pedem os Estados Unidos.

Em 2017 e no início de 2018, o Conselho de Segurança da ONU impôs sanções econômicas contra a Coreia do Norte, visando setores como do ferro, carvão, pesca, têxtil, do petróleo e derivados. As medidas restritivas, amplamente defendidas por Washington, foram aprovadas com o objetivo de pressionar Pyongyang a reduzir seus programas nuclear e armamentista.

Nesta terça, Trump afirmou que vai pressionar a Coreia do Norte a abandonar a produção de armas nucleares o mais rápido que puder, mas reconheceu que esse processo pode levar um tempo.

O documento assinado por Trump e Kim nesta terça possui quatro pontos:

  1. EUA e Coreia do Norte se comprometem a estabelecer relações de acordo com o desejo de seus povos pela paz e prosperidade;
  2. Os dois países irão unir seus esforços para construir um regime de paz estável e duradouro na península coreana;
  3. Reafirmando a Declaração de Panmunjon, de 27 de abril de 2018, a Coreia do Norte se compromete a trabalhar em direção à completa desnuclearização da península coreana;
  4. Os EUA e a Coreia do Norte se comprometem a recuperar os restos mortais de prisioneiros de guerra, incluindo a imediata repatriação daqueles já identificados.

Na avaliação de Trump, as negociações com Kim foram “francas, diretas e produtivas” e o documento está “bastante completo”. O texto mostra, segundo o americano, que os países estabeleceram uma ligação especial após a sua assinatura.

Em entrevista logo depois do encontro, o presidente americano afirmou que Kim aceitou o seu convite para visitar a Casa Branca e que ele pretende visitar Pyongyang “em um certo momento”.

“Aprendi que ele é um homem muito talentoso que ama muito seu país. É um negociador de valor, que negocia em benefício de seu povo”, afirmou.

Tags:
COMPARTILHAR:

Comentários